lunes, julio 06, 2009

Por terras estrangeiras

Parece que longe de casa nos abrimos mais para as singularidades do cotidiano. Estou em um bar/cafeteria chamado Cristina - suponho que é a morena alta e forte que comanda o balcão e a cozinha ao mesmo tempo. São quase 15h de um sábado de calor infernal. Madrid está vazia (como bem comemorou o motorista de taxi, poucas horas antes, em cada esquina que dobramos). Cristina tem uma garçonete para as quatro mesas. Me serviu uma jarra de água da torneira, um pão, salmorejo e frango ao molho roquefort. O homem ao meu lado não passou da coca-cola, que ainda ocupa um terço do copo, descendo lentamente enquanto o senhor se perde na leitura de um exemplar volumoso. Sete pessoas de uma família se apertam na mesa à esquerda e tratam de dar conta da comida que não para de chegar. O avô, na cabeceira, guia as discussões típicas. Do outro lado do salãozinho - que, apesar de pequeno, consegue abrigar uma luminosa máquina de apostas -, uma mulher, amiga da garçonete, cuida de um bebê. Balança de um lado a outro o soprinho de vida e, em cada intervalo, vê a amiga mimá-lo. Depois de uma dessas cenas pacíficas, que me enchem o coração de saudade, a garçonete se dirige a mim: "Cariño, eres de aqui?!". Diante da explicação de que venho do outro lado do charco, ela questiona: "Y que haces tan lejos?". Vim estudar, respondo - mas a verdade é que não tenho certeza do que falei. Parece uma frase demasiadamente limitadora para o que eu sinto que começa a acontecer na minha vida a partir de agora.

6 comentarios:

Gra dijo...

Estudar? Um universo infinitamente maior te circunda minha linda!

ca.toledo dijo...

Como e gostoso ler o que você escreve. Eu imaginei o lugar, a comida e a cena. É muito bom as vezes só observar. Aproveita cada segundo dessa sua viagem!!!beijo mami

ca.toledo dijo...

Eu to no computer da Carlota. beijo

ca.toledo dijo...

Que coisa mais linda lau. Você escreve bem demais. Estamos aqui, mami e eu, emocionadas com esse texto e, principalmente, com a sua incomparável sensibilidade.
Beijo enorme, saudades.

Tatiana Ribeiro dijo...

Demais Laurinha! Me senti ai do seu lado!! Beijosss

Miguel Angel dijo...

Y bien… finalmente comienzo la aventura. Aquí en medio de una palestra, mientras el director técnico de la clínica de tenis presenta el video que me quitó casi dos noches de sueño, me escapo en tus historias y simplemente me olvido de todo.
Que inmenso placer es leer –DISFRUTAR- cada palabra de este blog. Y lo mejor de todo… tengo unos 2 años y medio de material por delante. ¡!!

…que bonito regalo mi Lauris. (otro más)
Bjos na cumbamba…